MEDICINA VIBRACIONAL OU MEDICINA QUÂNTICA





Medicina Vibracional ou Medicina Quântica
"No mundo da medicina vibracional, a doença é causada não apenas por germes, substâncias químicas e traumas físicos, mas também por disfunções crônicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros. O caminho vibracional não usa bisturis e medicamentos de laboratório para tratar as doenças, mas sim diferentes formas de energia para produzir transformações curativas na mente, no corpo e no espírito do doente” (Richard Gerber - Medicina Vibracional: Uma medicina para o Futuro).

Medicina vibracional é um conceito e sugere que devemos estudar os fenômenos biológicos sob a ótica da física quântica. Atua no nível “vibracional” e assim trata os desequilíbrios antes que eles se tornem doenças instaladas além de ajudar a controlar problemas crônicos e de difícil solução. 

Leva em conta o fato de que somos feitos não apenas do corpo físico, mas de corpos energéticos sobrepostos a este. Tem por base as modernas descobertas científicas a respeito da natureza energética dos átomos e moléculas que constituem o nosso corpo, combinados com os sistemas antigos de energia vital do corpo.

Chamamos de medicina vibracional, quântica ou natural a todas as técnicas de cura que tratam o homem como um todo: corpo físico, emocional, mental e espiritual, trazendo equilíbrio e resgatando a saúde. Esta medicina natural, que trabalha o resgate do homem junto a natureza, tem sua origem em conhecimentos e filosofias muito antigas. 

Considera a doença uma somatização de alguma desarmonia ocorrida em algum plano energético (corpo sutil). A cura, então, consiste em harmonizar as vibrações dos nossos corpos sutis, resultando, no nível do paciente, em saúde e bem-estar.

Medicina Alopatica :
disfunção bioquímica >--conduz à--> lesão estrutural

Medicina Vibracional :
disfunção energética >--conduz à-->disf. bioquímica >--conduz à--> lesão estrutural

 CORPOS SUTIS
A física comprova que a matéria é composta de átomos e elétrons em constante movimento. Resumidamente: energia pura. Logo, tudo o que existe vibra, independente de podermos vê-lo ou não. Se o corpo é feito de matéria, somos totalmente feitos de energia. SOMOS PURA ENERGIA TAMBÉM!!! 

A física quântica vai mais além, ela nos mostra que numa análise muito mais profunda além do átomo, tudo o que existe parece com uma partícula, soa como uma partícula, mas age como uma onda vibrante. (Assista o Vídeo Fenda Dupla - CLIQUE AQUI).

Em outras palavras, o desenvolvimento da física quântica potencializou essa forma de interpretação da matéria e começou a explicar de uma maneira muito envolvente os fenômenos das curas naturais.

Baseados nessas informações e aprofundando os estudos sobre o Universo, estudiosos de toda parte do mundo descobriram que além da matéria (corpo físico), que já é uma forma de energia, somos feitos ainda dos corpos sutis, que sofrem constantemente influências vibracionais do mundo ao nosso redor.

São eles:

• Corpo Espiritual
• Corpo Mental
• Corpo Emocional
• Duplo Etérico

Todos nós, em algum momento da vida sentimos influência dos ambientes que freqüentamos, das pessoas com as quais convivemos, dos pensamentos que criamos. A questão é que pelo fato de termos uma consciência, uma cultura que necessita de comprovações cartesianas, facilmente criamos um bloqueio na aceitação desse conceito. Logo, tais vibrações muitas vezes passam desapercebidas, ou não são corretamente interpretadas. Isso explica porque animais, plantas e crianças sentem mais as sutilezas do clima, do ambiente e da vibração das pessoas, justamente por não terem uma consciência ou a mesma estar em processo de desenvolvimento, no caso das crianças.

 MEDITAÇÃO

A meditação, tão recomendada por monges tibetanos, hoje é desenvolvida em grandes centros terapêuticos do mundo, pois leva o ser humano a acabar com esse bloqueio e desenvolver tal percepção, aumentar sua imunidade e o equilíbrio emocional. 

“A meditação é mais que uma prática de relaxamento: age sobre as células cinzentas e pode modificar o modo de pensar, de sentir e de ser” (Scientific American – Revista mente e Cérebro – Edição Especial www.mentecerebro.com.br)

Uma pequena prova dessa experiência é a percepção de como nos sentimos em hospitais, no trânsito, no trabalho, em uma igreja... Cada um de nós se sente de forma diferente de acordo com a maneira como vibramos ou entramos em ressonância com tais ambientes, situações ou em contato com determinadas pessoas.

*Ressonância é "a transferência de energia de um sistema oscilante para outro quando a frequência do primeiro é igual à do segundo" (Dic. Aurélio).

O fato de não identificarmos uma vibração (apesar de muitas pessoas o conseguirem), não significa que não estamos sofrendo uma influência.

O simples ato de olharmos uma foto que nos remete a um pensamento agradável promove no nosso organismo uma reação fisiológica de prazer e o oposto ocorre quando lembramos, visualizamos ou pressentimos uma situação desagradável. As afinidades entre as pessoas ou com atividades profissionais, tudo o que nos atrai a atenção ou tudo aquilo por que nos dedicamos tem relação com essa visão. Porém existe uma outra forma de se pensar sobre isso. Quando não nos simpatizamos com alguém ou quando abominamos uma determinada atitude, isso também pode significar que estamos vibrando num mesmo nível, porém como uma forma de competição de energia. A pessoa com a qual não nos simpatizamos, o que na maioria das vezes é recíproco, está tentando, inconscientemente, sugar nossa energia e nós tentando sugar a dela. A atitude natural é não gostar disso ou querer ficar longe. Porém quando nos damos uma oportunidade podemos desenvolver uma grande relação onde as trocas podem ser positivas.

A história está cheia de experiências, e relatos sobre isso. Quem nunca viu um cachorrinho se agitar todo ao (supostamente) pressentir a chegada de um membro da família? É de domínio público que o os animais na Indonésia, dias antes do Tsunami, onda que destruiu o local, subiram os morros pra se protegerem do que estava por vir. Isso mostra claramente que existe algo mais sutil que é invisível aos nossos olhos, que exerce uma influência sobre nós e que pode nos tratar ou nos adoecer de acordo com a freqüência que estamos vibrando.

 DOENÇA SOB A ÓTICA DA MEDICINA QUÂNTICA

O Biomédico americano Thomas Szasz condena a noção de doença como algo que ataca pessoas sem qualquer relação com a sua personalidade, estilo de vida, sistema de crenças ou ambiente social. Nesse sentido toda doença é um mito, não existe doença e sim doente. Um exemplo muito simples disso é o resfriado comum. Ele só pode se desenvolver se uma pessoa estiver exposta a um determinado vírus, mas nem todas as pessoas expostas a esse vírus serão contaminadas. A exposição resulta em doença somente quando o indivíduo exposto se encontra num estado receptivo, e isso depende das condições climáticas, da fadiga, do estresse e de uma série de outras circunstâncias que influenciam a resistência da pessoa à infecção (CAPRA, Fritjof – O ponto de mutação – 1982).

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Sanford, nos mostra que o que leva as pessoas a viverem mais saudavelmente além dos 65 anos corresponde a 10% Assistência à saúde , 17% Genética, 20% Meio Ambiente, 53% Estilo de Vida (Fonte: Haskel et.al, Sanford University). Novamente nos deparamos com a afirmação de que para se tratar uma doença de forma completa não adianta apenas uma intervenção física ou bioquímica. 

Podemos sugerir então que, se tudo o que existe vibra em uma freqüência e nós também somos feitos de energia, quando entramos em ressonância com alguma forma vibracional que altere a função normal de qualquer desses corpos sutis, adoecemos. As doenças vão dos corpos sutis para o físico. Os sintomas são apenas uma manifestação do problema interno.

Um dos maiores avanços da física foi o Teorema da Interconectividade de Bell, que diz que nós estamos em conectividade com todos os pontos do Universo. Influenciamos tudo e sofremos influência de tudo. Logo, se entrarmos em ressonância com o que está nos fazendo mal, podemos adoecer.

 O QUE PROPÕE A MEDICINA QUÂNTICA?

Ao conjunto de tratamentos que transmite energia para o corpo, numa freqüência muito diferente daquelas medidas pelos equipamentos convencionais de detecção, denominamos de Medicina Vibracional ou Medicina Quântica. Entre eles destacamos: Medicina Tradicional Chinesa e Acupuntura (com estimulação feita por agulhas, corrente elétrica, ondas sonoras, luz, laser, pressão pelos dedos, freqüências eletromagnéticas produzidas por luz colorida, etc.), Florais, Cristais, Cromoterapia, Homeopatia, Radiestesia, Imposição de mãos, Radiônica.

Utiliza formas específicas para reequilibrar os campos de energia que ajudam a regular a fisiologia celular, procura restaurar a ordem a partir de um nível mais elevado do funcionamento humano. 

Tem como proposta integrar os conceitos da alopatia que enfatiza a doença e lida com componentes químicos e estruturais do corpo físico, porém enfatiza a saúde e lida com a natureza em nível espaço/tempo meramente quadrimensional, portanto, tem evidências laboratoriais diretas em apoio a suas hipóteses fisioquímicas.

Nível quadrimensional: 

A primeira dimensão, soma (ou físico), refere-se ao corpo, que serve de veículo às dimensões seguintes.
A segunda dimensão, psique (ou alma), é superior ao soma e está dentro da percepção dual cartesiana: corpo e alma (res cogitans e res extensa).
A terceira dimensão, nous (ou espírito), pode ser traduzida por consciência. É uma inteligência silenciosa. Nela habita a intuição, pode ser alcançada através de meditação e está para além da psique.
A quarta dimensão, pneuma (ou sopro da vida), une as três dimensões precedentes e é a mais nobre, significando a Essência do Ser humano. É muitas vezes considerada o verdadeiro espírito imortal, que evolui em direção à perfeição.

Novamente Richard Gerber:
“O que se pretende, em suma, é que os seres humanos adquiram uma melhor compreensão de si mesmos enquanto seres multidimensionais com um ilimitado potencial de cura e crescimento”.

Sites consultados:

www.quantec.ch
www.nenossolar.com.br
www.greepet.vet.br
www.roseleinenaturologa.ntr.br
www.terapiadecaminhos.com.br
www.saindodamatrix.com.br
www.solnascenteflorais.com.br
www.mediconatural.com
www.jornalagora.com.br
www.bichoonline.com.br
www.neinaiff.com
www.seressencial.com
www.luminanti.com
www.medicinacomplementar.com.br
www.newconnexion.net
www.conscienciacosmica.com.br
www.veenamukti.com
www.biolifestyle.org
www.radionic.net
www.revolutionhealth.com
www.eomega.org

Leitura Recomendada:
- ACUPUNTURA TRADICIONAL VIA RADIÔNICA: Ryodoraku, EAV, Radiestesia e Radiônica. Raul Breves - Ed. Armazemgráfico.

- A DOENÇA COMO CAMINHO: Uma Visão Nova da Cura como Ponto de Mutação em que um Mal se Deixa Transformar em Bem. Thorwald Dethlesfsen, Rudiger Dahlke - Ed. Cultrix.

- AS MENSAGENS DA ÁGUA. Masaru Emoto - Ed.Isis.

- BIOCOMUNICACIÓN INSTRUMENTAL COM QUANTEC – M-TEC Verlag.

- FÍSICA Y TIEMPO DE ENSUEÑO: Sorprendentes puntos de encuentro entre la física moderna y los tratamentos naturales - Peter von Buengner.

- LUZ, A MEDICINA DO FUTURO. Jacob Liberman. Ed. Siciliano.

- MEDICINA VIBRACIONAL : Uma medicina para o futuro. Richard Gerber – Ed. Cultrix

- O MÉDICO QUÂNTICO: Orientações de um Físico para a Saúde e a Cura. Dr. Amit Goswami -Ed. Cultrix.

- O PONTO DE MUTAÇÃO: A Ciência, a Sociedade e a Cultura Emergente. Fritjof Capra - Ed. Cultrix.

- O UNIVERSO ELEGANTE: Supercordas, Dimensões Ocultas e a Busca da Teoria definitiva. Brian Grenne - Ed. Companhia Das Letras.

- RADIESTESIA PRÁTICA E ILUSTRADA. Antônio Rodrigues

- UM GUIA PRÁTICO DE MEDICINA VIBRACIONAL. Richard Gerber - Cultrix

Entre tantos outros livros da área.

Fonte:http://www.acupunturanaempresa.com.br/quantec_medvibracional.htm


Medicina vibracional: nova medicina que incorpora conceitos da física quântica
por Alex Botsaris
Quem é cinéfilo ou freqüentador de locadoras de vídeo já ouviu falar de uma produção americana chamada “Quem Somos Nós”. Depois de ficar mais de seis meses em cartaz em salas de cinema alternativas, em cidades como Los Angeles, Nova Iorque, Rio e São Paulo, tornou-se a coqueluche das locadoras. Há uns seis meses atrás, os interessados precisavam esperar duas semanas ou, as vezes, três, na fila, para ver o filme.
Esse filme, uma mistura de documentário e ficção, é estrelado pela atriz premiada com Oscar, Marlee Matlin, e se propõe a discutir o que sabemos sobre a vida humana, numa perspectiva dos avanços mais recentes da física quântica e das neurociências.
Filme sobre física quântica "Quem Somos Nós" faz crítica ao materialismo predominante na medicina e é um manifesto de um movimento chamado de medicina vibracional, que incorpora os conceitos da física quântica à medicinaO nome em inglês do filme “What the Bleep do We Know?” – seria melhor traduzido como: “Que M.... Sabemos?” (“the bleep” pode ser traduzido por um palavrão) – refere-se as evidências que ainda existem muitos fenômenos e dados não explicados na medicina para os médicos manterem uma posição tão cartesiana e arrogante frente a isso.
Tanto o nome quanto o conteúdo do filme são uma crítica ferrenha contra o materialismo que ainda predomina na medicina nos dias de hoje. Usando descobertas de física quântica, como a que mostra que uma partícula pode estar em dois lugares ao mesmo tempo, estudos sobre as propriedades da água, e ainda achados dos neurocientistas que sugerem que o cérebro é muito mais integrado ao corpo que se imaginava, o filme lança a idéia que a mente tem mais poder de comandar o corpo do que se pensava, e que muitos fenômenos considerados paranormais (como a cura com as mãos) podem ter explicação.
O sucesso feito pelo filme mostra que a sociedade anseia por um modelo de medicina menos conservador, mais flexível, e mais alinhado com outras áreas da ciência. Apesar de não ser esse o objetivo dos produtores do filme, ele é um manifesto de um movimento na medicina chamado de medicina vibracional. Esse movimento foi criado pelo médico norte-americano Richard Gerber, clínico geral na cidade de Livônia, em Michigan.
Gerber ficou mundialmente famoso ao propor a incorporação dos conceitos da física quântica na medicina, através de vários livros, ele estuda o assunto há 20 anos. O movimento da medicina vibracional ainda é pequeno mas já vem aumentando. Na base de dados Pubmed, do National Intitute of Health (NIH) nos Estados Unidos, apenas 68 trabalhos científicos mencionam esse conceito. Isso significa que ainda é necessário muito caminho para que essa idéia seja mais aceita no meio médico.
Medicina vibracional é um conceito e sugere que devemos estudar os fenômenos biológicos sob a ótica da física quântica. Entretanto, usando esse racional ele cita e indica várias medicina complementares, que acredita poderem atuar no nível ‘vibracional” e assim tratar os desequilíbrios antes que eles se tornem doenças instaladas, e ajudar a controlar problemas crônicos e de difícil solução. Entre elas as principais são: acupuntura, homeopatia, cromoterapia, os florais de Bach, a radiestesia e a medicina ayurveda.
Mesmo considerando o desafio de provar os conceitos da medicina vibracional, é fundamental que haja flexibilidade para aceitar esses novos paradigmas científicos e investiga-los extensivamente para validá-los ou rejeitá-los, com provas definitivas. O verdadeiro espírito científico é uma honesta busca da realidade, por mais improvável e impalpável que ela pareça ao primeiro olhar.

Fonte:http://www2.uol.com.br/vyaestelar/medicina_fisica_quantica.htm



(Somos um campo vibracional que carece de manutenção)

Frequência é uma grandeza física ondulatória que indica o número de resoluções (ciclos, voltas, oscilações, etc.) por unidade de tempo.

De acordo com o Dr. Richard Gerber em seu livro "A Medicina Vibracional" tem por base as modernas descobertas científicas a respeito da natureza energética dos átomos e moléculas que constituem o nosso corpo.

Ainda segundo o Dr. Richard Gerber, a equação de Einstein (E=m*v2) proporciona a informação fundamental para a compreensão de que a energia e matéria é uma coisa só.
Assim como a luz, a matéria vibra em uma determinada frequência. Quanto maior for a vibração da matéria, menos densa ou mais sutil ela será.

O cumprimento da onda é inversamente proporcional a frequência.

O conceito de energia nasceu no século XIX e tornou-se essencial na física. A física moderna propõe um novo enfoque biológico sobre a saúde, à doença e a cura. De acordo com os conceitos da Medicina Vibracional o organismo humano é composto de um complexo sistema de energias sutis multidimensionais interligados, que se mantém harmonizados enquanto equilibrados entre si.

Quando desequilibrados, desencadeiam a doença nos seus diferentes níveis; energético, emocional, mental, funcional e físico.

As essências vibracionais evidenciam a grande ligação entre os reinos; mineral, vegetal e animal, potencializando o restabelecimento do equilíbrio energético nos vários níveis dos corpos sutis e físicos do organismo humano, proporcionando uma melhora na qualidade de vida.

Para reequilibrar esses complexos sistemas de energias do corpo humano, existem as essências vibracionais, que tem como mecanismo de ação o princípio da ressonância. Foi Galileu Galilei, em suas pesquisas com pêndulos, no ano de 1602, quem descobriu que a ressonância, para a física é a tendência de um sistema oscilatório em máxima amplitude em determinadas frequências, conhecidas como "frequências ressonantes".

É semelhante ao eco.

O fenômeno da ressonância ocorre com todos os tipos de vibrações ou ondas, como as ondas eletromagnéticas. A ressonância é uma lei universal através da qual, com pequenos estímulos, podem se alterar grandes conjuntos desde que, estes estímulos estejam em ressonância de frequência e ondas entre si.

"Em termos biológicos é a possibilidade de engendrar efeitos biofisiológicos e energéticos em organismos biológicos através de sinais muito fracos e sutis, mas que estejam em ressonância com o organismo biológico em questão, ordenando o seu sistema biológico, para um aspecto biofísico precedente ao bioquímico, a qual é uma realidade comprovada."

(Oliveira Filho).
"Há mais de 50 anos existem evidências científicas comprovadas do uso da bioressonância para diagnóstico e tratamento, nos trabalhos do Dr. Royal Raimound Rife, com demonstração via biofísica." Encontrada no livro The Handbook of Rife Frequency Healing Holistic Technology for Cancer and Other Diseases.

Os padrões energéticos sutis de cada essência vibracional possuem uma determinada frequência e podem influenciar o indivíduo nos mais diversos níveis.
Portanto, as essências vibracionais são preparadas a partir de flores e pretende-se que ajudem a melhorar os distúrbios físicos e emocionais podendo ser usados por todas as pessoas de todas as idades, tendo sempre em consideração que os florais ionquantic, fitoquantic e biofactor são soluções hidro-álcool-glicerinados pronto para o consumo, não sendo recomendado qualquer diluição.

A terapia vibracional / frequêncial consiste em equilibrar a energia frequêncial dos distúrbios físicos, emocionais e mentais.
A terapia vibracional / fequêncial é a mais fácil, prática e que traz efeitos muito rápidos.

Fonte:http://solucoesperfeitasecriativas.ning.com/profiles/blogs/f-sica-quantica-entendendo-a-medicina-vibracional

MEDICINA VIBRACIONAL - Osiris Costeira.

A medicina do século XXI - Introdução I.

Longo caminho o homem percorreu desde o primata recém-bipedestado até aqui, o hoje, principalmente quanto aos três ou quatro últimos séculos em que a cura, transformada em “ato médico”, muito evoluiu e, de certa forma, desprendeu-se do estigma de castigo. Com raras e honrosas exceções.
A medicina que se pratica atualmente se baseia no modelo newtoniano da realidade. Este modelo é, essencialmente, um ponto de vista que considera o mundo como sendo um mecanismo complexo. Os médicos vêem o corpo como uma espécie de grandiosa máquina controlada pelo cérebro e pelo sistema nervoso: o supremo computador biológico. Os atuais modelos newtonianos de medicina consideram que a fisiologia e o comportamento psicológico do ser humano dependem da maquinaria estrutural do cérebro e do corpo.
O coração é uma bomba mecânica que transporta sangue rico em oxigênio e nutrientes até o cérebro e os diversos sistemas de órgãos. Os médicos acham que compreendem tão bem o coração que inventaram substitutos mecânicos para assumir as funções de um coração natural deficiente. Muitos médicos consideram que a principal função dos rins é atuar como um mecanismo automático de filtragem de trocas iônicas. Através de máquinas de hemodiálise os médicos reproduziram mecanicamente a capacidade que os rins têm de remover as impurezas e toxinas do sangue.
Com esta visão newtoniana da medicina, Richard GERBER inicia o primeiro capítulo de seu livro “Medicina vibracional, uma medicina para o futuro” (Editora Cultrix, São Paulo, 1988). E levará o leitor, tranqüilamente, a entender que tudo isso é história, fantástica e maravilhosa, em termos de conquistas e avanços científicos, e em períodos em que os médicos mal dispunham de estetoscópios rudimentares para iniciar as suas observações. Fantástico. Maravilhoso. Mas, hoje já é história.
A medicina se orienta fundamentalmente em outras direções, não apenas no da molécula ou das reações químicas, mas em outros aspectos que a sua maquinaria exuberante ainda não registra. Alguns aspectos passam a se tornar importantes no cômputo das considerações a respeito do doente e “da doença”, abrindo um novo patamar de horizonte no conhecimento e na compreensão do ser humano, já que o conhecimento médico convencional é prejudicado pela idéia de que pode curar todas as doenças restaurando fisicamente ou eliminando os sistemas de células anormais.
Existe um aspecto da fisiologia humana que os médicos ainda não compreenderam e que relutam em reconhecer. A conexão invisível entre o corpo físico e as forças sutis do espírito detém a chave para a compreensão dos relacionamentos internos entre matéria e energia. Quando os cientistas começarem o verdadeiro relacionamento existente entre matéria e energia, estarão mais perto de compreender o relacionamento entre a humanidade e Deus.
A partir do momento em que a vida passou a ser vista em uma dimensão maior do que aquela circunscrita à matéria e aos limites da molécula tudo mudou, inclusive a medicina e os métodos, principalmente no conceito de doença/doenças e de cura. Desde que entendemos que o nosso mundo nada mais é do que um conjunto de coisas em determinada vibração, e muitas delas imperceptíveis aos nossos sentidos “normais”, a vida tomou outra dimensão, incorporando, inclusive, o componente espiritual relegado antes a manifestações místicas, sectárias e dogmáticas de determinados grupos esotéricos.
Esta nova visão vibracional nos conduz à dedução de que nós, na qualidade de organismos humanos, somos constituídos por uma série multidimensional de sistemas de energia sutil que se influenciam mutuamente, e que um desequilíbrio nesses sistemas energéticos pode produzir sintomas patológicos que se manifestam nos planos físico/emocional/mental/espiritual. Disso se depreende que esses desequilíbrios podem ser curados recalibrando-se os gabaritos de energia sutil com tomadas de consciência do seu Eu, mudando o seu sentir/agir e, conseqüentemente, o seu relacionamento com o coletivo e consigo próprio.
No mesmo raciocínio, essa tomada de consciência poderá ser beneficiada com medicamentos vibracionais de freqüência apropriada, em que a energia é a única matéria prima terapeuticamente entendida. Essa é a base conceitual da Medicina Vibracional.
No conceito vibracional está embutido o espiritual de nossa existência, seja qual for a capa dogmática pela qual se apresente. Ao homem não se lhe permite mais abdicar do componente “espírito” no seu raciocínio técnico-médico, porque exclui o atributo mais importante do ser humano: a dimensão espiritual.
A visão newtoniana e mecanicista da vida nos mostra apenas uma aproximação da realidade. As abordagens farmacológica e cirúrgica são incompletas porque ignoram as forças vitais que animam a maquinaria dos sistemas vivos e insuflam-lhe a vida, nos lembra, ainda, Richard GERBER. O princípio fundamental numa máquina é o de que a função do todo pode ser prevista pela soma das partes. Ao contrário das máquinas, porém, os seres humanos são mais do que a soma de um conjunto de substâncias químicas ligadas umas às outras.
Todos os organismos dependem de uma sutil força vital que cria uma sinergia graças a uma singular organização estrutural dos componentes moleculares. Por causa dessa sinergia um organismo vivo é maior do que a soma das suas partes. E esse diferencial está contido no componente espiritual, ou força vital ou outro nome qualquer que se lhe dê, mas que inexiste numa máquina. Ela, simplesmente, não tem vida.
Fonte:http://www.terapiadecaminhos.com.br/vibracional01-08.htm

MEDICINA QUÂNTICA OU VIBRACIONAL


Medicina Quântica ou Vibracional
Tudo é energia!!!! Algumas pessoas estranham quando falo essa frase, porém é científico, tudo é energia mesmo.
Todo mundo conhece os Átomos, pois os menores componentes dos Átomos são os Fótons e os Glúons, que são formados por energia pura, ou seja, não têm massa.
Fótons são partículas de luz, e os Glúons, são partículas que ligam os Quarks (outro tipo de partícula subatômica) existindo ainda os  Neutrinos. Dentre esses elementos citados o único que apresenta alguma massa é o Neutrino.Portanto, tudo que existe : pessoas, plantas, animais, minerais, luz e espaço, sim, não existe o vazio, tudo é composto e preenchido por energia.
Mediante a essas constatações, cada vez mais aumentam os estudo dentro da área da medicina Quântica, ou seja, a Medicina que cuida das energias. A maioria  (pra não dizer todas) as técnicas  terapêuticas  naturais que existem cuidam de nossa energia, dentre as mais conhecidas e específicas, encontra-se a Acupuntura (que cuida dos nossos "rios" de energia, os meridianos), Reiki, Florais, etc
Outras ainda não tão conhecidas são: Radiestesia Genética (através de um pêndulo e de vários gráficos identifica e trata os campos energéticos), Terapia do Bem ou Terapia dos Cristais Radiônicos (através de cristais programados via Radiônica), mandam estímulos de correção energética utilizando pontos de acupuntura e auriculoacupuntura), Quantec ( terapia que também utiliza via Radiônica).

"No mundo da medicina vibracional, a doença é causada não apenas por germes, substâncias químicas e traumas físicos, mas também por disfunções crônicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros. O caminho vibracional não usa bisturis e medicamentos de laboratório para tratar as doenças, mas sim diferentes formas de energia para produzir transformações curativas na mente, no corpo e no espírito do doente” (Richard Gerber - Medicina Vibracional: Uma medicina para o Futuro).

E o que afeta a harmonia de nossa energia?
Resposta: Tudo!
Isso mesmo, praticamente tudo nos afeta, pois somos energia, envoltos por energia, em contato com diversos tipos de energia, alguns exemplos: Campos eletromagnéticos (torres de energia, celulares), alimentação, veios de água, cores, sentimentos, pensamentos, traumas, vícios, locais, pessoas, estresse, enfim...tudo que encontramos em nossa vida cotidiana.

Na visão da medicina vibracional, primeiro temos uma desarranjo em nossa energia (ou seja, uma abertura para que vírus e bactérias entrem ) para depois ocorrer uma doença.
As terapias vibracionais tratam o organismo de modo a deixa-lo sempre forte, para que não hajam "brechas", assim a saúde prevalece, ao passo que na alopatia, trata-se especificamente da patologia instalada ( não necessariamente se  importando em fortalecer o organismo, ou verificando a causa da instalação da doença).

Dessa maneira, a medicina quântica e/ou vibracional, previne doenças e mantém nossa energia a todo vapor....
Chega de dizer que energia é esoterismo (nada contra), porém há embasamentos científicos, cabe agora a cada um abrir a mente e usufruir dessas terapias tão maravilhosas!
Cuide-se!!!

Fonte:http://catiastrutzel.blogspot.com.br/2013/10/medicina-quantica-ou-vibracional.html

Postagens mais visitadas