Pular para o conteúdo principal

FÍSICA QUÂNTICA E MEDICINA

Física Quântica

UMA NOVA FUNDAMENTAÇÃO CIENTÍFICA PARA MEDICINA


Uma nova fundamentação Científica para Medicina define a premissa sobre a qual nossa compreensão da realidade é baseada. Tradicionalistas declararam que a medicina ocidental convencional é a única medicina científica. O sistema médico atual baseia-se em um modelo materialista que incorpora as teorias darwinistas da evolução, da física newtoniana, da química e da anatomia e fisiologia física (nível elementar de partículas). No entanto, através de explorações e observações do comportamento das partículas no nível subatômico, a ciência evoluiu. Décadas atrás, a física quântica emergiu como um novo padrão científico e modelo de compreensão da realidade. Ele revolucionou a nossa sociedade em muitos níveis, suscitando discussões de ciência versus espiritualidade / consciência; Transformando o núcleo de nossa sociedade. Agora é hora de redefinir uma forma de medicina baseada no novo modelo científico de compreensão do universo segundo a física quântica 
Através dos princípios da física quântica, podemos explicar como antigas tradições de cura, tais como Medicina Oriental e Acupuntura, Medicina Ayurvédica, e modalidades como Homeopatia e Naturopatia, trabalham com os sistemas de energia sutil do corpo, como ch'i, prana e força vital energia. Um importante físico quântico, Amit Goswami, PhD, já estabeleceu as bases para isso em seu livro, O Médico Quântico, orientações de um físico para a saúde e cura. No futuro, esperamos que as faculdades de medicina incorporem esta nova ciência quântica como parte de uma visão integradora da medicina que combina tradições curativas convencionais e alternativas. 
Medicina quântica não é apenas a chave para resolver a atual crise de saúde, mas também levará a uma nova visão de saúde integradora não baseada na doença, mas em toda a potencialidade do indivíduo. Nossa compreensão do corpo humano se expandirá para incluir os sistemas de energia sutis do corpo, e conexões mentais e emocionais ao corpo físico. 
Como a mente funciona pode ser explorada a partir de um ponto de vista não-dualista, em comparação com a filosofia dualista usado hoje. Ele abrirá a porta para novas abordagens criativas para a cura que têm a oportunidade de resolver problemas ainda não resolvidos pela medicina convencional, especificamente nas áreas de doenças crônicas e degenerativas.
🔵Autor: Dr. Paul Drouin Fonte: Quantum University
🔵Tradução: Prof. Denis

Fonte:http://curso.inteligenciaquantica.com.br/blog-professordenis-iiq/postdoiiq-006

Medicina Quântica - o que é?

medic_quant.jpg
Por: Cátia Antunes - Naturopata (www.clinicadavinci.com)
Medicina Quântica ou Terapia Quântica é um termo que hoje em dia muito se ouve falar no meio da Medicina Não Convencional.
Quando é referido, é, na maioria das vezes associado, a aparelhos de biofeedback, dotados da capacidade de análise do organismo bem como de tratamento do mesmo, sendo que, alguns destes aparelhos apenas realizam análise. Existem vários aparelhos com estas características tendo todo eles em comum o fato de utilizarem como base de funcionamento os conhecimentos da Física ou Mecânica Quântica e por este motivo se deu o nome de Medicina Quântica.
A Física surge por volta de 1920 pondo em causa algumas das teorias newtonianas que regiam o mundo da física por esta altura. Heisenberg foi o físico que em 1927 convenceu a comunidade científica, durante a Conferência de Solvey em Bruxelas, que esta nova abordagem resolvia alguns dos problemas da Física Clássica - esta uma física da observação dos fenómenos macroscópicos ao contrário da Física Quântica que se debruça nos fenómenos ao nível do átomo.
Como todas as ciências em progresso a Física Quântica ainda tem alguns problemas para resolver nos seus teoremas, contudo ela foi no passado muito importante para o desenvolvimento da física e é essencial hoje em dia para o avanço da tecnologia bem como para a evolução da visão que se tem do mundo.
Segundo esta perspectiva quântica tudo no universo vibra a uma frequência única e individual, incluíndo nós mesmos. Como tal, as células dos nossos órgãos irão ter uma frequência diferente umas das outras, isto é, as células que compõem o fígado irão vibrar de uma maneira diferente das células que compõem os rins, sendo esta analogia feita para todas as partes do organismo incluíndo as emoções.
A Física Quântica tem um âmbito de aplicação mais amplo do que apenas o mundo microscópico e pode ser aplicado a sistemas em geral, onde as partes individuais funcionam em conjunto e se influenciam mutuamente.
Estas descobertas serviram pois de motivação para a comunidade médica iniciar investigações que permitissem a aplicação destes novos conceitos à medicina. Terão sido os russos os primeiros a realizarem estes estudos que rapidamente foram desenvolvidos por outros países como os Estados Unidos.
Como resultado desta "ebulição" na área da biofísica foram desenvolvidos estes aparelhos com capacidade ora de análise, ora de análise e tratamento, como referido inicialmente.
A Medicina Quântica (através dos referidos aparelhos) não deverá ser encarado como uma área clínica per si, mas sim como uma ferramenta terapêutica integrada no contexto de uma consulta dada por um especialista de saúde. 
Durante a consulta com recurso a esta nova tecnologia o paciente é conectado através de bandas, na cabeça, pulsos e tornezelos que imitem e captam sinais electromagnéticos do corpo. É indolor e não invasivo.
Durante a análise, o organismo do paciente é totalmente examinado, procurando distúrbios nos órgãos, alergias, vírus, bactérias, fungos, enzimas, vitaminas, sais minerais, níveis hormonais, emoções e sensibilidade a alimentos.
O resultado desta análise é então comparado com o que consta de uma base de dados onde estarão valores que correspondem ao padrão da normalidade dos respectivos níveis.Identificando o problema de saúde e a origem deste, proceder-se-á ao tratamento. 
O tratamento da condição de saúde em causa será efectuado através do envio de frequências específicas às células ou emoções que necessitem de tratamento.
Quais as condições de saúde que trata?
A Medicina Quântica atua nos mais diversos desequilíbrios de ordem física, mental e emocional, sendo também particularmente eficaz em bebés e crianças, nomeadamente nas que pouco ainda se expressam verbalmente, dado que o diagnóstico através da Medicina Quântica não resulta da comunicação com o paciente. 
Algumas condições mais comuns podesm ser inumeradas:
BEBÉS E CRIANÇAS
  • Otites
  • Amigdalítes
  • Bronqueolites
  • Alergias
  • Eczemas e outras dermatites
  • Dificuldade na aprendizagem
  • Falta de apetite
ADULTOS
  • Cancro
  • Doenças auto-imunes
  • Alergias
  • Depressão
  • Ataques de pâncio
  • Infeções/inflamações urinárias e ginecológicas
  • Distúrbios digestivos
  • Acompanhamento da grávida
Qualquer pessoa, independentemente da doença ou idade poderá recorrer a uma consulta com recurso à Medicina Quântica, sendo que esta poderá ser uma mais-valia a montante das desmais vertentes terapêuticas que sejam necessárias. 
Para mais informações sobre Física Quântica e sua influência nas nossas vidas, sugiro a consulta ao site:


Fonte:https://www.ktb.pt/pt/mente-corpo-saude/Medicina-Quantica-o-que-e


FÍSICA QUÂNTICA E MEDICINA
Uma nova visão de mundo para a medicina e suas condutas.
Como entender os processos patológicos?
Como compreender além dos processos patológicos?
Como saber se minha hipertensão arterial, minha arritmia cardíaca, minha dislipidemia, minha síndrome congênita, meu câncer, meus diversos processos patológicos de desarmonia celular tem apenas causas físicas?
Agora vem os “porquês”.
Por que tenho essas doenças?
Por que minhas células deixaram de cumprir sua função adequadamente?
Por que minha célula cardíaca, responsável por produzir determinada proteína, deixa de realizar essa funcão ou a faz em excesso?

Agora os “ques” , “quem”e “quais”.
Quem coordena, em última análise, a produção de enzimas e proteínas?
Quais foram os reais motivos da desarmonia?
Há algum outro fator que está sendo negligenciado? Os materialistas de plantão correrão em responder: os genes, o DNA. O DNA é o responsável pela produção de proteínas, tudo bem. Mas qual é o impulso inicial capaz de coordenar a função do DNA? A Vida foi reduzida ao DNA? Essa pergunta seria fácil de ser respondida dentro do paradigma da matéria: Temos uma programação genética conquistada aleatoriamente ao longo da evolução; Somos reféns de nossos genes; Somos reféns de nosso DNA e sua programação. Reduzir algo tão complexo a uma molécula proteica e a outros componentes é, no mínimo, limitar a nossa capacidade e potencialidade criativa e livre arbítrio. As doenças necessitam de uma visão diferente quanto a suas causas. Precisamos incorporar os princípios quânticos ao arsenal de pesquisa científica que estudam essas desarmonias celulares. Resgatar o conceito de energia vital que há muito tempo foi descartada da medicina convencional. Para que isso aconteça, necessitamos de um verdadeiro “salto” quântico na compreensão da existência de outras dimensões inerentes ao ser humano, além da dimensão física, material, palpável e fixa da matéria. Estamos reduzindo sentimentos a um movimento de moléculas dentro do cérebro límbico. Estamos reduzindo os pensamentos a uma explosão de neurotransmissores na fenda sináptica entre as células cerebrais. Precisamos valorizar a consciência nesses processos e assumir a capacidade participativa e cocriativa em todos esses processos.

Já refletimos em outras oportunidades que, em um estado fundamental, estamos todos conectados. Todos os constituintes e microconstituintes guardam um estado de emaranhamento, de entrelaçamento, de interconexão e adquirem um comportamento que leva em consideração, não apenas as suas partes, mas, sim, o todo. Precisamos adquirir essa compreensão que expande horizontes e possibilita uma ação mais coerente no mundo macroscópico. Atuamos sob uma extensa rede de informações que conecta tudo e todos. O espaço que preenche meus átomos e que formam minhas moléculas é o mesmo que preenche o seus átomos e que formam as suas moléculas. Espaço vazio? Não. Espaço cheio. Possuidor de uma energia incomensurável que dá origem e sustenta todas as formas. Essa compreensão profunda de uma realidade não apenas física nos remonta para a importância das ações que desempenhamos enquanto seres participativos e cocriativos das diversas experiências compartilhadas na qual desempenhamos dentro de uma família, dentro de uma comunidade, dentro do ambiente de trabalho, dentro de uma sociedade, dentro das diversas convivências que temos oportunidade de estar presente. Será que isso é importante e deve ser considerado como fator causal para uma desarmonia celular e que provoca uma doença? Eis a chave!!!! Eis o segredo!!! Que não é mais segredo! A física quântica quando analisada e interpretada sob a filosofia monista da  consciência resgata a importância da causação descendente. Como é a consciência que escolhe dentro das possibilidades oferecidas pela causação ascendente, as ações responsáveis, o pensar corretamente, o viver corretamente passa para um patamar superior de importância e valorização. Sou responsável por aquilo que penso, aquilo que sinto e aquilo que reflete meu comportamento em minhas ações. Ser coerente é ser saudável. Uma única vida é pouco para representar toda a complexidade de nossas experiências. Diante de tudo isso, como compreender as desarmonias celulares que constituem meu corpo físico? Perceberam o quanto temos que ir além em nossas simplificações e reducionismo?

A cada dia, mesmo participando de congressos médicos de atualização nesse tipo de conhecimento materialista reducionista, essas perguntas e questionamentos não se calam. Continuamos, nós médicos, negligenciando algo importante  em nossas pesquisas: a alma, o espírito, a consciência. Buscamos padrões para chegarmos ao diagnóstico e, a partir de então, instituir a terapêutica adequada para uma provável causa aparente. Iniciamos um tratamento farmacológico; indicamos o implante de um dispositivo eletrônico; indicamos uma cirurgia e não há mais tempo para compreender que os aspectos internos inerentes a todos nós foram esquecidos desse contexto: A pessoa, que receberá o medicamento, o dispositivo eletrônico e a cirurgia, tem pensamentos, sentimentos, intuições, relacionamentos, compatilhamento de experiências, fica alegre, fica triste, tem frustrações, tem raiva, tem ódio, tem comportamento incoerente, tem uma essência viva e participativa em qualquer processo patológico. Ela está atuando de forma ativa em um campo ou uma rede de informação energética que necessita ser valorizada para termos uma visão ampla e completa da sua possível desarmonia. Estamos agindo na periferia da doença. As causas são mais profundas. Precisamos mergulhar em nós mesmos na busca de um autoconhecimento ao mesmo tempo que a medicina busca o conhecimento externo das causas dessas mesmas doenças. Intuições, pensamentos, sentimentos são tão importantes quanto bactérias, vírus, alterações climáticas e genética. Como mudar isso?!?! Mudar a visão de mundo!!! É fácil? De maneira alguma. É impossível? Jamais.

A medicina também estabelece a metodologia científica materialista em seus bancos acadêmicos. Não estou querendo dizer que isso é certo ou errado. Quero realçar a importância de incorporar e integrar os aspectos negligenciados. Aspectos internos e sutis que não são validados pela ciência materialista e também pela medicina com seu “estableshiment” instituído. Conversar sobre isso em um encontro científico materialista é comprar uma briga sem precedentes e ser expulso de qualquer outra oportunidade acadêmica. Assim ocorreu com Fritoj Capra, um importante físico. A ciência materialista tem contribuído muito para o aumento da qualidade de vida e também da perspectiva prolongada do viver. Mas isso pode ser melhorado. Quanto mais pessoas conversarem, refletirem sobre isso, mais e mais perspectivas de mudanças profundas teremos. Acredito nisso! Tento fazer minha parte. A dinâmica da transformação é importante. As pessoas deveriam compreender que durante a mudança de paradigma elas mesmas deveriam se observar diferentes e serem a transformação que desejam ser. Criar um novo mundo a partir de um novo ser. Isso é possível! Dessa maneira temos uma oportunidade de integrar as visões de mundo e ampliar de forma criativa a realidade vivenciada ou experimentada. Quando todos estiverem envolvidos nessa dinâmica de transformação, as informações que chegam ao DNA serão coerentes e ele saberá o que fazer. As funções biológicas funcionam como arquétipos, da mesma maneira que o Amor, a Justiça, a Abundância, a Verdade, a Beleza funcionam como arquétipos que fornecem os contextos para a mente dar os significados. Precisamos entender essas funções biológicas dessa maneira. Uma nova possibilidade de pesquisa surgirá para continuarmos o processo evolutivo que é incessante e tem um propósito, ao contrário do que pensam os biólogos darwinistas. Temos pesquisas que demonstram inclusive o tempo decorrido entre nossas percepções e a informação proveniente dessas percepções, até chegarem ao DNA informando-o o que deve ser feito. É a comunicação mente-DNA. A física quântica, por estudar os componentes submicroscópicos da matéria, permite uma visão ampla e expandida da realidade e incorpora a possibilidade de integrar os aspectos sutis e internos com os aspectos externos e fixos. Equilibrar interno e externo. A “substância” da intuição, do pensamento, do sentimento e das moléculas é a mesma. A consciência colapsa a função de onda de todos eles simultaneamente de forma descontínua e não local.

Criamos representações no físico dos aspectos sutis. A intuição é representada no físico. Os pensamentos e sentimentos da mesma forma. As células, as moléculas, os átomos recebem informação constante e apresentam um dinamismo. A consciência, o espírito, a alma está tão intimamente acoplada a esses constituintes que não há maneira de estudá-los separados. Não há como prosseguirmos no reducionismo das funções biológicas e na separação.Temos que agregar ao nosso conhecimento os princípios quânticos e prosseguirmos adiante em nossas pesquisas. Valorizando o sutil. Vivendo corretamente. Pensando corretamente. Em busca de clareza! Em busca de dias melhores para todos nós!

Queridos amigos leitores, coerência e consciência. Isso é importante para a saúde integral.

Abraços fraternos

Milton.

Fonte:https://ativismoquanticodotcom.wordpress.com/category/fisica-quantica/page/2/

FÍSICA QUÂNTICA ? A MEDICINA DE EINSTEIN

Na visão da medicina ocidental, quando um corpo apresenta problemas funcionais a causa é atribuída a defeitos estruturais produzidos por desequilíbrios químicos. Embora a homeostase dependa de uma ligação com a energia situada a um nível mais profundo isso não é levado em conta. O ser humano é visto como uma máquina biológica. Criada para desempenhar as mais mirabolantes funções. Este artigo aborda a visão do homem possuir um corpo físico constituído de matéria com propriedades de partículas e ondulatórias simultaneamente. A propriedade ondulatória da matéria irá conferir característica de freqüência tanto ao corpo físico quanto ao etérico. A teoria energética equipara o homem ao elétron de um átomo, pois ocupa diferentes modos vibracionais que são chamados de órbita de saúde e doença e somente uma dose de energia sutil de freqüência apropriada fará com que esse corpo passe para uma nova órbita assim como os elétrons que ocupam casulos de energia conhecidos como orbitais. Cada orbital apresenta características de energia e freqüência, dependendo do tipo de átomo. A fim de que o elétron passe para o próximo orbital superior é preciso transmitir-lhe energia de uma determinada freqüência, somente um quantum de energia exata fará com que o elétron salte para um orbital superior. A este salto dá-se o nome de princípio da ressonância.
1.1  Einstein X Newton
A neurociência demonstrou que correntes elétricas de baixa intensidade no cérebro, causam efeito estimulante, as mesmas alterações comportamentais produzidas por substâncias químicas estimulantes. Uma corrente elétrica aplicada a leucócitos in vitro estimula sua regeneração celular, porém se a intensidade dessa corrente for maior, provocará a degeneração das células. 
A mente pode controlar a dor, a temperatura da pele e promover a cura do organismo. Certos tratamentos químicos influenciam estados mentais e certos tratamentos mentais influenciam os estados químicos. 
A medicina ocidental ou medicina Newtoniana trabalha com componentes químicos e estruturais do corpo físico, a natureza se encontra num nível espaço/tempo quadridimensional em contra partida a medicina vibracional ou Einsteiniana trabalha com energias que sofrem influência da atividade mental e emocional do homem. 
A essa energia ou força vital, dá-se o nome de espírito.  É uma energia sutil que anima todos os seres vivos e influencia na saúde e na doença.  
A medicina vibracional com métodos de cura diferentes da medicina ocidental corrige padrões em desequilíbrio nos sistemas metabólicos e nos padrões de comportamento.
A visão de Einstein entende o homem como uma rede de campos de energia em contato com o sistema físico e celular. Comprovado através da equação E=mc² , onde E representa energia, m massa e c a velocidade da luz no vácuo. Então: Toda matéria é energia e matéria e energia são manifestações diferentes da mesma substância, que é a energia ou vibração básica da qual todo o ser é constituído.  Essa rede energética da estrutura física/celular é sustentada por sistemas energéticos sutis que coordenam a interação entre a força vital e o corpo (as funções eletrofisológicas, hormonais e a estrutura do corpo físico).
È a partir deste nível de energia sutil que a saúde e a doença se originam. Os sistemas são afetados pelas emoções que afetam o padrão de crescimento celular. Essa conexão entre o corpo físico e a energia sutil proporciona a compreensão da interação entre matéria e energia que se relaciona com a expressão celular do corpo físico e participa da criação da saúde e da doença. Esse entendimento proporciona métodos mais eficazes de cura.   
1.2  O Holograma
Todos os seres são um microcosmo dentro do macrocosmo e os princípios observados no microcosmo refletem os princípios que norteiam o macrocosmo.  
A compreensão da medicina einsteiniana está ligada a utilização da luz a laser. E a imagem obtida através desta luz chama-se holografia que é a fotografia em 3 dimensões criada por padrões de interferência de energia que demonstra o princípio de que cada parte contém o todo e proporciona a compreensão da estrutura genética do universo quanto a sua natureza multidimensional.
Entendendo: O holograma é um padrão de interferência de energia. Como exemplo, corta-se uma maçã em diversos pedaços e cada pedaço quando visto através da luz laser revela a miniatura da maçã.
O princípio holográfico correlaciona-se com o DNA, pois cada pedaço contém as informações relativas ao todo. E ambos possuem informações para construir um corpo a partir do zero.  Esse fator faz com que o princípio holográfico se torne importante na compreensão dos campos bioenergéticos associados à estrutura físico-química do corpo. A disposição espacial das células é controlada por um mapa tridimensional, sendo esse mapa o resultado do campo bioenergético que acompanha o corpo físico, esse campo é chamado corpo etérico, que é um molde de energia holográfica que contém informações para a organização espacial do feto e que permite a regeneração celular no caso de ocorrer dano.    
Na universidade de Yale foi realizado um trabalho pelo neuroanatomista S.Burr que estudou a forma dos campos de energia existentes em torno das plantas. Sua experiência comprovou que o campo elétrico que circundava a planta nova não possuía a forma da semente e sim da planta adulta, isso sugere que o processo de desenvolvimento está destinado a seguir um modelo de crescimento previamente determinado gerado pelo campo eletromagnético individual do organismo.  Este campo é denominado campo etérico e possuí padrão de energia semelhante a um holograma. 
Se estendermos o modelo holográfico, o Universo se tornará um gigantesco holograma cósmico ou um enorme padrão de interferência de energia. Cada pedaço do Universo contribuirá para as informações relativas ao todo. 
1.3  Matéria e Luz
O DNA codifica a expressão físico estrutural da célula através de enzimas e proteínas que desempenham funções bioquímicas no organismo. As enzimas catalisam as reações químicas originando novas estruturas constituídas de proteínas que nada mais são que grupos de aminoácidos. A molécula de DNA contém na memória genética instruções para determinar o arranjo seqüencial dos vários aminoácidos que constituem cada tipo de proteína.
As moléculas são formadas por partículas menores chamadas átomos, que reduzidas a partículas menores são os elétrons, nêutrons e prótons. Toda matéria é constituída por esse arranjo de partículas atômicas e subatômicas tal quais os elétrons que apresentam em sua composição dois elementos: ondas e partículas.  Essa dualidade é um reflexo da relação matéria / energia estudada por Einstein e sintetizada como E=mc². Com isso pode-se converter matéria em energia e vice-versa.
O fóton é uma partícula mediadora da força eletromagnética e também representa o quantum da radiação eletromagnética, que inclui a luz.  Possui Spin igual a um.  A troca de fótons entre partículas de elétrons e prótons é descrita pela eletrodinâmica quântica, interagindo com os elétrons e o núcleo atômico é responsável por muitas das propriedades da matéria, tais como a existência e estabilidade dos átomos, moléculas e sólidos.
O fóton atua tanto como partícula (quando registrado por um mecanismo sensível a luz) quanto como onda (quando passa através de uma lente ótica). De acordo com a dualidade partícula / onda da física quântica é natural que um fóton apresente ambos aspectos de acordo com as circunstâncias em que se encontra. A luz é formada por um grande número de fótons, quanto maior o número de fótons maior a intensidade ou brilho.
Quando o fóton de alta energia transforma-se em duas partículas reduz a velocidade, passando a ter propriedades atribuíveis à matéria (massa) e ainda conservar algumas das propriedades ondulatórias. A partir disto afirma-se que toda matéria é luz congelada. E é constituída por campos de energia complexos.
Como seres multidimensionais que somos e não apenas carne, ossos, células e proteínas somos constituídos da mesma substância básica de que é feito o Universo, luz congelada.

1.4 - Anatomia Multidimensional ou Sutil
Os meridianos da acupuntura, os chakras e nadis, o corpo etérico e outros sistemas superiores são parte da anatomia humana multidimensional ou sutil que têm sido descrita por diversas escolas de cura em todo o mundo.
A dualidade onda/partícula da matéria mostra que a estrutura física humana possui propriedades que possibilitam a construção de um novo modelo de corpo físico.  Isto ocorre no nível das partículas pois toda matéria é energia. Então se o homem é matéria ele também é energia com isso pode-se afirmar que o homem é um ser de energia multidimensional.
A diferença entre a matéria física e a matéria etérica é a freqüência. Energias de freqüências diferentes podem coexistir no meso espaço sem que se produza uma interação destrutiva ou que uma interfira com a outra. Isto porque a matriz energética do corpo etérico ou o molde holográfico do campo de energia está sobreposto à estrutura do corpo físico.
                                                   
1.4.1  Os Corpos Sutis
corpo etérico é um modelo holográfico de energia que orienta o crescimento e o desenvolvimento do corpo físico. Vejamos como: Os hologramas são baseados em padrões de interferência de energia, suas partículas subatômicas assim como os elétrons são minúsculos representantes desse padrão de interferência, então, se os blocos de construção do universo físico são padrões de interferência de energia eles podem apresentar propriedades holográficas. E se os padrões de interferência geram hologramas, então o princípio holográfico dirige interações em todo o universo. Esse princípio holográfico é que organiza a estrutura e a informação contida no interior do corpo humano e que também está presente no padrão de ordem do cosmo, pois contém dados estruturais relativos a morfologia e função do organismo.   
Exercendo um padrão de crescimento que dirige processos celulares a partir de um nível energético superior, qualquer distorção no padrão de organização no molde etérico resultará num crescimento anômalo dando origem as doenças num nível pré-fisico que após semanas ou meses irão se tornar visíveis no corpo físico.   
O equilíbrio da energia sutil ao nível etérico irá promover a saúde, visto as doenças se originarem devido o desequilíbrio no sistema etérico.
Corpo Astral ou Emocional é um componente do ser humano integral e multidimensional e, assim como o corpo etérico se sobrepõe à estrutura física. A matéria astral existe numa faixa de freqüência acima das matérias físicas e etéricas e tem a capacidade de ocupar o mesmo espaço que o corpo físico e etérico. Essa coexistência é chamada de Princípio da Coexistência Não-Destrutiva. Esse princípio estabelece que matérias de freqüências diferentes podem ocupar o mesmo espaço simultaneamente e de forma não destrutiva.
A literatura esotérica reconhece os efeitos das funções glandulares que ocorrem no nível da atividade celular e que fazem parte da expressão emocional da personalidade.  Porém, os desequilíbrios emocionais podem ser causados tanto por distúrbios neuroquímicos na atividade cerebral quanto por fluxos anormais de energia entre o corpo astral e os chakras influenciando nas doenças físicas através do trinômio mente, corpo físico e corpo astral, facilitando a compreensão da relação entre o stress e a doença física.  
A emoção é uma característica da atividade neural do sistema límbico, o cérebro ajuda a alma a se expressar na forma da vida física, se o sistema nervoso ficar debilitado pela doença a personalidade poderá ficar aprisionada num veículo não expressivo.  As energias astrais afetam o cérebro e o sistema nervoso através das ligações sutis com o corpo etérico e das ligações com o corpo físico.
Outra denominação para o corpo astral é corpo do desejo, sede dos desejos sexuais, anseios, disposições de espírito, sentimentos apetites e temores, este uma das energias astrais que mais influenciam. O grau que o sujeito é afetado pelos temores ou desejos é que vai determinar a extensão e a natureza da expressão de sua personalidade no plano físico.
Diferente do corpo etérico que sustenta e energiza o corpo físico o corpo astral opera como veículo de consciência que pode existir independentemente do corpo físico, embora esteja ligado a ele.
Tanto a matéria etérica como a astral apresentam propriedades magnéticas de dimensões superiores, não físicas e são compostas de partículas magnéticas. O movimento ordenado dessas partículas sutis ao longo de um processo linear produz corrente elétrica. O modelo Tiller-Einstein refere-se a esse fluxo de energia como correntes magneto-elétricas. Na eletricidade uma corrente elétrica se faz acompanhar por um campo magnético. Inversamente, uma corrente magnética deve gerar um campo elétrico. Então a energia astral e etérica de natureza magnética fluem através dos chakras produzindo campos elétricos.
As diversas terapias energéticas sutis atuam de forma a proporcionar uma dose quântica de energia sutil ou magneto-elétrica de modo a neutralizar os padrões magnéticos anormais etéricos ou astrais da anatomia energética sutil.
As essências florais do Dr. Bach foram usadas durante muitos anos para tratar os problemas emocionais que originavam as doenças. Sendo o efeito vibracional desse medicamento sutil  eficaz no combate ao stress emocional.
Corpo Mental é constituído de matéria com freqüência mais elevada que a matéria física e está localizado a direita do corpo astral.  É o veículo através do qual a personalidade se manifesta e expressa o intelecto concreto. Possui chakras que estão ligados ao corpo físico e estão concentrados nos principais centros endócrinos e nervosos circundando e envolvendo os chakras astrais e etéricos.
Para que a energia mental influencie o corpo físico é preciso que ocorra um efeito cascata. A energia mental exercerá efeito sobre a matéria do corpo astral que responde a esse tipo de estimulação, depois, através de modificações no veículo astral, as alterações energéticas são transmitidas ao veículo etérico e, finalmente ao físico, por intermédio de conexões etéricas.
Corpo Causal é o que está mais próximo do "eu superior", é constituído por substância sutil com freqüência vibracional mais elevada que o corpo mental. Está relacionado com idéias e conceitos abstratos. A consciência casual lida com a essência de um tema e com as verdadeiras causas que estão por trás da ilusão das aparências. É o universo das realidades, que não lida com emoções, idéias e conceitos e sim com a essência e a natureza subjacente da coisa.
Diferente do corpo etérico, astral ou mental, o corpo causal é mais do que um corpo individualizado, porém não se trata só da personalidade do sujeito enquanto entidade distinta manifestada através do corpo físico. A influência do corpo mental é sentido primeiro no corpo astral depois desce para os corpos etérico e físico, a entrada do corpo causal afeta inicialmente o corpo mental, em seguida desce a escala energética. Então, uma cura realizada no nível causal surtirá mais efeito que a praticada em níveis inferiores.
Embora existam diferentes níveis de substância energética cada corpo está espacialmente sobreposto à forma física. A existência do corpo etérico possui uma função fisiológica complementando a estrutura e a função do corpo físico. Enquanto o corpo astral e os níveis energéticos superiores penetram na consciência. Todos esses corpos interligados de energia são uma complexa expressão do físico e da personalidade.
1.5 - Anatomia Energética Chinesa
Como visto anteriormente, os corpos sutis estão sobrepostos ao corpo físico e o corpo etérico está ligado ao corpo físico através de canais específicos de energia que torna possível o fluxo energético entre um sistema e outro. A medicina chinesa escreveu sobre esses canais dando-lhes o nome de meridianos, por onde passa a energia nutritiva chamada ch´i.
A energia ch´i penetra no corpo através dos pontos de acupuntura e flui até os órgãos mais profundos, levando alimento de natureza energética sutil. Para os chineses a existência dos doze pares de meridianos ligados a órgãos específicos no interior do corpo físico contribuía para a saúde deste corpo, quando o fluxo de energia para os órgãos é bloqueado ou sofre algum desequilíbrio, o funcionamento desses sistemas fica prejudicado.   
O sistema de meridianos forma uma interface físico-etérica fazendo com que informações bioenergéticas e a energia vital ch´i fluam do corpo etérico para o nível celular do corpo físico através dos meridianos. Sendo de vital importância para a preservação da saúde a integridade e o equilíbrio energético deste sistema de meridianos.
1.6  Anatomia Energética Ayurvédica
 A literatura iogue indiana cita a existência de centros de energia no interior do corpo sutil, muito antes dos chineses.  A noção de chakra faz parte do tantra ou tantrismo, para o qual a kundalini reside no Muladhara. O objetivo das práticas tântricas, que são essencialmente Bhakti Yoga, é a subida da kundalini através dos chakras, ativando-os, a fim de se unir no Sahasrara com Shiva,  representado como essência espiritual.
Os vedas (2.000 a. C.) contêm os mais antigos registros sobre chakras de que se tem notícia. Quando foram escritos, a Yoga já sistematizava o conhecimento e o trabalho energético dos chakras.
A palavra chakra vem do sânscrito e significa roda, disco, centro, plexo. São conhecidos como vórtices (redemoinhos) de energia vital, espirais girando em alta velocidade, vibrando em pontos vitais do corpo. Os chakras são pontos de interseção entre vários planos e através deles o corpo etérico se manifesta mais intensamente no corpo físico.
Segundo a filosofia ioga, dentro do corpo humano existem canais (nadis) por onde circula a energia vital (prana) que nutre órgãos e sistemas, apesar de divergirem quanto ao número exato de chakras, algumas linhas afirmam existir 32, 114 e até mesmo 88.000, os principais são sete. Os chakras primários originam-se no nível do corpo etérico e estão ligados uns aos outros e a determinadas partes da estrutura físico-celular através de canais energéticos sutis conhecidos como nádis.
1.6.1  Chakras e Nadís
Os Chakras são conectados entre si por uma espécie de tubo etérico ( Nadi ) principal chamado "sushumna", ao longo do eixo central do corpo humano, por onde passam dois outros canais alternados "Ida" que sai da base da espinha dorsal à esquerda de sushumna e "pingala" à direita (na mulher estão invertidas estas posições ).
Os nadis são constituídos por delgados filamentos de matéria energética sutil, assemelham-se aos nervos e conduzem e regulam o "prana" (energias Yin e Yang) em espirais concêntricas. Estão ligados ao sistema nervoso. Estes nadis são os principais, entre milhares, que percorrem todo o corpo em todas as direções, linhas meridianos e pontos, na literatura foram descritos mais de 72.000 nadís no corpo humano. Para oshindus os nadis são sagrados, é por meio da "Sushumna" que o yogi deixa o seu corpo físico, entra em contato com os planos superiores e traz para o seu cérebro físico a memória de suas experiências.
Os nádis influenciam a natureza e a qualidade dos impulsos nervosos numa extensa rede constituída pelo cérebro, medula espinhal e nervos periféricos. Assim uma disfunção patológica no nível dos chakras e nádis pode ser associada a alterações patológicas no sistema nervoso.
Os sete principais chakras estão dispostos desde a base da coluna vertebral até o alto da cabeça e cada um está associado a uma glândula. Possuindo correspondência com certas funções físicas, mentais, vitais ou espirituais. Num corpo saudável, todos esses vórtices giram a uma grande velocidade, permitindo que a "prana", flua para cima por intermédio do sistema endócrino.  Estão inter-relacionados com os sistemas: parassimpático, simpático sistema nervoso autônomo e sistema nervoso somático. Sua função é vitalizar, equilibrar e interagir com o corpo físico e psíquico, trazendo o desenvolvimento da consciência.
A energia pode fluir através dos chakras em duas diferentes direções: do ambiente energético sutil para dentro do corpo e vice versa.
1.7- A Consciência
Como traduzir campos de consciência? Parte-se do pressuposto que cada ser humano possua uma consciência que irá norteá-lo em sua vida, tal como Jung cita o self (fator de orientação íntima) ou alma.
O ser humano como descrito anteriormente é um ser multifacetário e como todo ser multifacetário é composto de todas as suas experiências. Integrar esse modelo e interagir com os campos de consciência trazendo compreensão e entendimento é a questão. É necessário o entendimento dos modelos, a começar pelo paradigma cartesiano.
A Sociedade de Produção em Massa, fortemente influenciada pela Revolução Industrial e impregnada pelos pressupostos do paradigma newtoniano-cartesiano, apresentava-se sedimentada numa visão de mundo mecanicista e reducionista. A fragmentação, a divisão, a objetividade, a racionalidade, levaram a proposições dualistas, como a separação entre mente-corpo, ciência-ética, objetivo-subjetivo, razão-emoção, entre outras. Isso durou até o inicio do século XX quando a ciência clássica entra em crise.
A visão que caracterizou o século XVIII e XIX passa a ser questionada pela comunidade científica durante todo o século XX. As proposições de Einstein com a Teoria da Relatividade (1900) e o movimento da física quântica desencadearam uma nova revolução na ciência, especialmente, focada na busca da recomposição das partes num todo integrado. Esse movimento desafia o mundo científico, envolvendo investigações de físicos, químicos, biólogos, matemáticos e de profissionais das mais variadas áreas do conhecimento.
Neste sentido são feitas milhares de descobertas em vários domínios: física, neurologia, psicofisiologia, parapsicologia, biologia molecular entre outros. Alguns como a Teoria da Relatividade de Albert Einstein e a Teoria dos Quanta de Max Planck. Descobre-se a equivalência entre energia e matéria (E=m.c²); o dualismo partícula/onda é demonstrado; o espaço deixa de ser tridimensional e o tempo deixa de ser independente; pesquisas no campo da neurociência abrangem o estudo da consciência, tentando compreender seu estado ordinário e seus estados alterados (por exemplo: meditação, hipnose, sonhos) por meio de ondas alpha, theta e delta.  
A Física Moderna serve de base á compreensão do inconsciente humano, com sua predominante característica de imprevisibilidade. O novo pensamento da Física mudou totalmente a visão de mundo. De acordo com a Teoria Sistêmica, a célula, um sistema completo em si mesmo, integra um tecido, que compõe um órgão, que pertence a um indivíduo, que vive numa família, dentro de uma sociedade, num país, num continente, no planeta Terra. Somos um sistema em interdependência com outros sistemas, dentro e fora de nós mesmos.
A ciência convencional, vigente há 4 séculos aproximadamente, veio construindo, ao longo deste tempo, o paradigma científico clássico. Seus pilares foram definidos por cientistas e pensadores como René Descartes, Isaac Newton, Galileu Galilei e Francis Bacon, sendo considerada, por muitos autores como uma ciência mecanicista, materialista ou fisicalista.
Esse paradigma vem tendo grande serventia para o desenvolvimento da humanidade, porém é indicado para a investigação dos fenômenos que compõem o universo físico. Ao direcioná-lo para a complexa realidade da consciência, mostra-se insuficiente. A consciência, e a realidade multidimensional na qual se manifesta não se encaixam no tipo de "objetividade" requisitada pela ciência convencional. Oparadigma Newtoniano-Cartesiano considera apenas o mundo material e aborda a consciência como sendo um subproduto do funcionamento do cérebro físico limitando a percepção. Do ponto de vista multidimensional, esta abordagem é inadequada ao estudo da consciência.
Para investigar a natureza da consciência, faz-se necessário um paradigma científico mais amplo, que leve em consideração as múltiplas variáveis atuantes em nossa realidade. Visto a realidade da consciência, transcender o corpo biológico. Ela se manifesta não apenas através de um corpo físico, mas dispõe de um conjunto de diferentes corpos de manifestação (biológico, energético, astral ou emocional e mental) tais como: o princípio inteligente, alma, espírito, ego, personalidade e todos os seus atributos, fenômenos parapsíquicos, múltiplas vidas e as manifestações dentro e fora do corpo físico. Ou seja, a realidade vivenciada pela consciência não se limita apenas à dimensão intrafísica, mas se estende por múltiplas dimensões caracterizadas por diferentes padrões vibratórios de energia ou uma série de vidas sucessivas ao longo de seu processo evolutivo, vivenciando períodos alternados entre a dimensão intrafísica (material) e a extrafísica.
Visão essa, que os índios americanos em 1855 reportaram em carta ao presidente dos Estados Unidos.  A visão de homem como um todo interligado ao universo.  
A terra não pertence ao homem; é o homem que pertence à terra. Disto temos certeza. Todas as coisas estão interligadas, como o sangue que une uma família. Tudo está relacionado entre si. O que fere a terra fere também os filhos da terra. Não foi o homem que teceu a trama da vida: ele é meramente um fio da mesma. Tudo o que ele fizer à trama, a si próprio fará.  (Trecho da carta do Cacique Seattle ao Presidente dos EUA em 1855.)   
Todas essas mudanças refletem o paradigma holístico. A palavra holismo vem do grego holos, significando "o todo", "totalidade". Trata-se de uma abordagem sistêmica da vida e do mundo, havendo uma inter-relação e interdependência de fenômenos físicos, biológicos, psicológicos, sociais, culturais e espirituais.
As origens do pensamento holístico, enquanto pensamento filosófico, podem se situar ainda na antigüidade, com os pré-socráticos, especialmente com Heráclito. Com a publicação do livro Holism and Evolution, em 1921, Jan Smuts pode ser considerado o teórico fundador do movimento holístico no século XX. Porém, foi com a revolução da Física das Partículas e, principalmente com a Teoria da Relatividade de Einstein, que o termo passou a ser aplicado com uma conotação mais paradigmática dentro da transformação conceitual da ciência.
O físico norte-americano Brian Swimme fez uma síntese de alguns princípios fundamentais do holismo, ou do paradigma holístico:
a) se a natureza do átomo não é dada ou é posta à compreensão exclusivamente por ele, de forma isolada, mas por sua interação e seu comportamento em relação a todo seu Universo envolvente, então a realidade física consiste principalmente de relações, o que implica em superposições de complexificação crescente ou na criação de sistemas dinâmicos sempre mais amplos. Ou seja, nada pode existir sem que imponha e receba características fora de seu ambiente total (Gestalt);
b) a nossa ciência e a nossa interpretação sobre o que seja o mundo são resultantes de nossa própria ação e relação com o mundo que nos cerca e com as crenças e idéias que adotamos. O ideal da neutralidade e da objetividade científica é mais ficção que realidade;
c) além da análise que separa, a síntese que une é de fundamental importância na compreensão do mundo: conhecer algo implica em saber sua origem e finalidade. O universo parece possuir um sentido evolutivo;
d) a matéria não é algo morto, passivo ou inerte, já que é dotada de energia e parece evoluir segundo um plano criativo global; os elementos inanimados parecem se organizar segundo complexos sistemas de interação. Assim, o Universo está mais para uma rede de relações, uma realidade auto-organizante.
O pensamento holístico está fortemente presente nas abordagens humanistas, Stanley Krippner, diretor do Centro de Estudos da Consciência, definiu os quatro princípios básicos do paradigma holístico:
1) a consciência humana ordinária (relativa à percepção corporal e do ego no estado de vigília) compreende apenas uma parte ínfima da atividade total do psiquismo humano;
2) a mente ou a consciência humana, ou o espírito humano, estende-se no tempo e no espaço, existindo em uma unidade dinâmica, ou melhor, em uma relação contínua com o mundo que ela observa;
3) o potencial de criatividade e intuição é mais global do que se imagina comumente, abrangendo todos os seres vivos;
4) o processo de evolução para níveis de maior complexificação e transcendência é algo muito valioso - tendência à auto-atualização, segundo Maslow e Rogers.
A abordagem holística não é nem analítica e nem é puramente sintética; ela se caracteriza pelo uso simultâneo desses dois métodos, que são complementares.
 A explicação da natureza e de todo o universo não pode ser mais puramente mecânica, pois está cada vez mais patente que existe um processo de síntese e de complexificação evolutiva que leva a criação de sistemas altamente dinâmicos. Segundo Jan Smuts, o criador da moderna concepção holística, e que exerceu profunda influência em Alfred Adler, o primeiro grande discípulo dissidente de Freud, "o conceito mecanicista da natureza tem o seu lugar e a sua justificação apenas na estrutura mais ampla do holismo".
Para concluir, percebe-se que cada um dos seres humanos surgiu de uma explosão do universo, então fazem parte de um todo indivisível que se transforma e que está em constante transformação, sendo assim essa matéria, que forma o ser humano nada mais é do que energia condensada, que vem se transformando com o passar do tempo.  sendo assim matrtransforma est seres campos de conscinto ps
Após todas as abordagens acima, fica notório que o ser está em constante transformação, independente da matéria em que existe. E que seus campos de consciência nada mais são que retalhos das experiências vivenciadas nas mais diversas matérias.


Fonte: http://www.terapiaholisticaemcuritiba.com.br/novidades/fisica-quantica-a-medicina-de-einstein/


Medicina Quântica
É a investigação multidisciplinar utilizando física quântica para mostrar que o corpo humano é controlado e regulado pelo sistema de energia humana.
Além disso, um ramo da medicina que manipula a energia do corpo para tratar e prevenir a doença.
Medicina Quântica é uma combinação de medicina funcional alemão, medicina oriental, Herbal / Homeopática, e física quântica.
Medicina Quântica utiliza os princípios da física quântica, como a não-localidade, hierarquia entrelaçada, e salto descontínuo n
O que é
Medicina Quântica é um ramo jovem da ciência em rápido desenvolvimento, baseada na utilização de propriedades especiais da radiação eletromagnética.Por um lado, o nome “Medicina Quântica” reforça a origem eletromagnética deste novo ramo da medicina, uma vez que a investigação dos campos eletromagnéticos é objeto da física quântica. E por outro, utiliza um nível baixo e seguro de radiação, sendo que QUANT significa a porção mínima de radiação eletromagnética
A Medicina Quântica integra todos os elementos do tratamento da saúde humana: a profilaxia, diagnóstico, tratamento e reabilitação.Costumávamos tratar o nosso organismo com remédios, injecções e pingos desde a infância, quando são necessárias análises (ao sangue, urina, expectoração) para descobrir a doença.No entanto, a forma convencional de tratar uma doença não é a única, nem mesmo a melhor.
A medicina quântica abre as portas para outra forma de proteger a saúde: uma forma ecologicamente pura, não invasiva e sem efeitos secundários
Diagnóstico Quântico
É do conhecimento geral que o próprio organismo da pessoa é uma fonte de radiação eletromagnética. É também ponto assente que a radiação de uma pessoa doente é diferente da radiação dessa mesma pessoa quando num estado saudável. É possível diagnosticar a doença de um determinado paciente ao medir os seus parâmetros eletromagnéticos quando está doente e saudável através de métodos especiais e analisar as diferenças entre ambos.
Terapia Quântica, assim como a profilaxia e a reabilitação utilizam a radiação eletromagnética para prevenir a doença e tratá-la. Esta terapia tem uma ação direta em zonas e órgãos específicos do paciente. As características desta ação eletromagnética externa são similares aos parâmetros dos processos eletromagnéticos que existem dentro do organismo da pessoa. Esta energia é aplicada em quantidades muito pequenas e é inofensiva para o organismo. Mas graças à absorção da ressonância, esta quantidade de energia é suficiente para “reparar” as células fracas e subir consideravelmente a imunidade de todo o organismo.Uma ação agregada sobre o organismo de uma pessoa com níveis de energia bastante baixos através de um campo magnético constante, radiação por infra-vermelhos e dispositivos de laser da terapia quântica “RIKTA” garante segurança total ao paciente e oferece uma eficácia terapeutica elevada.
Isto porque segundo as leis da bioquimica uma ação mais baixa resulta numa maior resposta pelo organismo: harmonização do sistema imunitário, ativação da circulação do sangue periférico (capilar) e normalização o metabolismo. A medicina quântica provou a sua eficácia ao tratar mais de 200 das doenças mais comuns.
Terapia Quântica
terapia quântica é uma aplicação prática dos conhecimentos da medicina quântica – a terapia quântica ajuda ao corpo a mobilizar suas forças de autotratamento.
terapia quântica começou a ser canalizada em 1997 e é um processo continuo, pois a cada dia novas informações surgem.
Os Lasers Quânticos… (utilizados na Terapia Quântica) são instrumentos de poder do mais alto grau… O objetivo é o trabalho com a cura no nível áurico, pois é nesse campo que a doença é primeiramente originada. Além do trabalho no campo áurico, um novo conceito de tratamento é implementado com o uso do Laser Quântico, ou seja, novos níveis energéticos podem ser atingidos com a utilização correta do mesmo
É uma nova abordagem sobre cura espiritual que elimina a origem das emoções, tratando a causa e não o efeito.
Para tanto constitui na regressão da memória sem hipnose, objetivando a re-significação das questões que ficaram programadas no subconsciente da pessoa e que tanto a prejudica sua qualidade de vida.
Atua nos níveis energéticos efetuando uma reorganização profunda da Aura, equilibrando todos os chacras, meridianos e ajustando o corpo energético multidimensional, ajustando o passado, presente e possibilitando um futuro melhor ao paciente, já sem as interferências até então diagnosticadas.
Em prática o Terapeuta utiliza comandos mentais (intenção estruturada) e símbolos elaborados especificamente para esta finalidade.
Transforme a sua vida! De uma vida de dores e sofrimentos para uma Vida Plena!!!
Definição
Terapia Quântica é essencialmente a cura espiritual realizada pelo pensamento que é um atributo da alma.
A Ciência Médica tem evoluído, contando com recursos progressivamente mais aperfeiçoados para o estudo da estrutura celular, dispondo particularmente do microscópio eletrônico, da ressonância nuclear magnética e da microscopia de tunelamento que são capazes de analisar a estrutura celular nos mínimos detalhes.
A Cura Espiritual vem sendo estudada sob o prisma científico, à luz dos conhecimentos atuais que identificam um ponto de encontro entre ciência e a realidade da alma através do pensamento.
Os conhecimentos revelados pela Física evidenciam que o átomo constitui uma minúscula partícula de matéria, tendo no seu interior um núcleo formado de Prótons e Nêutrons.
Os Prótons são dotados de carga elétrica positiva e se apresentam em número variável, de acordo com os diferentes elementos químicos que os constituem.
Os Nêutrons são em número igual aos dos Prótons e da massa praticamente igual à dos mesmos. Ao redor do Núcleo existem partículas menores, os Elétrons , em número igual ao de Prótons e que se movimentam em órbitas elípticas concêntricas, com carga elétrica negativa.
Segundo o modelo de Ernest Rutberford, adotado também por Niels Bohr, os Elétrons se deslocam em torno do Núcleo que estabelece o equilíbrio em relação à força centrífuga dos Elétrons, sendo que, para melhor entendermos o sistema eletro-magnético atômico, basta compará-lo com uma miniatura infinitamente reduzida do nosso sistema planetário.
O Conhecimento da estrutura do átomo abre para o observador um campo multiforme de observações mais, em síntese, reportando a estrutura do átomo para o sistema planetário, verifica-se sem sombra de dúvida, que o átomo sintetiza a unidade da Criação.
Existem razões para se admitir que no campo da atomologia deve-se centrar a Causa e a cura das doenças, e o pensamento tem o duplo poder de deslocar ou reajustar os Elétrons em suas órbitas.
O pensamento, sendo uma forma de energia emitida pela alma, quando impregnado de emoções negativas como as do medo, do ódio, da inveja, da maldade, do ciúmes, pode causar o deslocamento dos Elétrons de suas órbitas atômicas, causando o sofrimento, as doenças e fracassos.
Já o pensamento impregnado de emoções positivas sob a movimentação da vontade e da determinação, através do querer, da prece e da fé, centrado na ação curativa, produz o reajustamento dos Elétrons no alinhamento de maior potencial de suas órbitas atômicas, promovendo portanto a saúde, o bem estar, o sucesso e a cura espiritual.
Em outras palavras, podemos dizer que pensamentos negativos descompensam energéticamente os átomos que as constituem.
Pensamentos positivos harmonizam a estrutura dinâmica dos átomos com a recondução dos elétrons às suas respectivas órbitas, produzindo a harmonização do sistema energético das celular e a consequente recondução do seu estado normal.
A energia causadora de ambos os processos é a mesma. O que diferencia o pensamento Positivo do Negativo é a informação associada ao mesmo.
Há 150 anos, quando a Ciência ainda não havia formulado as bases da Teoria Quântica, Allan Kardec escreveu no livro “A Gênese” (pg.294-5, item-31) que “O espírito é o agente propulsor que infiltra num corpo determinando uma parte da substância do seu envoltório fluídico. A cura se opera mediante a substituição de uma molécula malsã por uma molécula sã”.
Como as moléculas são formadas por átomos, verifica-se que Allan Kardec estava certo ao lançar bases científicas da cura espiritual centrada na molécula e pode ser considerado o precursor dos conceitos modernos da Medicina Quântica, segundo a qual todo processo patológico tem, na sua origem, um desequilíbrio bioenergético que ocorre no interior das moléculas que constituem a célula.
Em decorrência do conceito da Terapia Quântica, pose-se deduzir que o magnetismo humano ou espiritual é responsável por diferentes modalidades de cura.
Compreendendo-se igualmente que o poder de curar é variável de pessoa para pessoa e é decorrente do fluído magnético emanado pelo pensamento sob a ação da vontade.
As doenças podem ser analisadas sob as variáveis biofisiológicas, físico-químicas e psicossomáticas.
Na epistemologia das doenças, a variável psicossomática está tão integrada no ser humano assim como as variáveis biofisiológicas e físico-químicas, mensuráveis pelos efeitos que produzem.
As ações iniciais que podem ocorrer antes mesmo do aparecimento das primeiras manifestações de doença realizam-se nas células por alterações energéticas causadas por pensamentos negativos e que alcançam os átomos, levando como já vimos, ao deslocamento de Elétrons de suas órbitas.
Sendo o pensamento um atributo da alma, compreende-se o seu valor na vida humana e que a alma não é apenas um mero componente na constituição do organismo, mas uma fonte inesgotável de energia atuante na vida de cada um desde o momento de sua formação embrionária, atuando como agente modelador dos órgãos e tecidos e durante toda a vida da pessoa como responsável pela saúde e bem-estar do organismo.
Portanto a Terapia Quântica é a unificação da Ciência com a Espiritualidade.
As cura espirituais consideradas como milagres podem ser soncebidas à luz da Ciência Quântica que são realizadas pela força do pensamento que é um atributo da alma.
Dessa maneira já não existem razões para que a Ciência e Espiritualidade se mantenham separadas.
Para tanto vale a pena lembrar das palavras de Thomas Edison, cientista que descobriu a lâmpada incandescente: “Ciência sem Espiritualidade é falta de Conhecimento, Espiritualidade sem Ciência é Fanatismo”.
Medicina Chinesa
O Universo é composto por uma massa de radiações, formada de partículas atômicas, subatômicas e eletromagnéticas, as quais são animadas por um movimento contínuo, que é o responsável pelo processo de criação e de desintegração da matéria.
A eletricidade que ilumina a nossa casa, as ondas de televisão ou de rádio, que trazem o informativo e a distração para as famílias; enfim, todos os elementos que tornam a nossa vida mais fácil dependem dessas radiações.
Tudo no Cosmo é permeado de radiações e inclusive da energia ou radiação colorida, o que ocorre tanto no mundo mineral como no vegetal e animal. Cada cor tem a sua própria energia vibratória com as suas numerosas frequências e essas radiações interagem umas com as outras, fazendo parte do equilíbrio que move “Toda a Criação”. Portanto, é um processo de mutação e evolução no qual estamos todos envolvidos. Ao conjunto dessas energias devemos a nossa existência.
A energia que circula em todas as células do corpo já era conhecida da Medicina Chinesa, que definiu o traçado energético do corpo humano como “Meridianos”, que formam uma complexa rede, na qual são ativados os pontos correspondentes aos órgãos em disfunção para restabelecer o equilíbrio energético.
Os sacerdotes-médicos do antigo Egito já conheciam essa energia, que denominavam Heka.
Assim, podemos dizer que o corpo físico é gerado pelas vibrações de energia. Se o fluxo dessa energia for perturbado em qualquer região do corpo humano, o equilíbrio da saúde é interrompido e surgem os distúrbios, que vão desenvolver as doenças.
Existe um ponto de encontro entre a tradicional Medicina Chinesa e a alta tecnologia moderna aplicada sobre o corpo, que tem a capacidade de receber e de absorver a influência das frequências eletromagnéticas e, especialmente na gama das ondas milimétricas, cuja potência é próxima do valor quântico. O sistema fisiológico do ser humano responde positivamente a essas frequências.
A terapia das cores é eficaz, indolor, fisiológica e não invasiva, sem efeitos colaterais. Baseia-se no princípio bio-ativo restaurador do equilíbrio energético global, que harmoniza a circulação da energia no corpo humano.
As primeiras análises, que demonstram o efeito terapêutico dessas frequências, tiveram início há cerca de trinta e cinco anos e, por volta de 1980, começaram as primeiras experiências clínicas, segundo o modelo científico de pesquisadores como Niels Bohr, E. Shredinger e I. Peigozhin, os quais receberam o prêmio Nobel.
Milhares de pacientes têm sido tratados com sucesso por esse método, mesmo nos casos de patologias graves, frequentemente diagnosticadas como incuráveis pelos terapeutas clássicos.
Essa nova metodologia terapêutica, que recebeu o nome de “Medicina Quântica”, utiliza a energia colorida para normalizar as funções do organismo, numa relação direta sobre os focos patológicos.
Embora, o tratamento com as cores, que obedecem a princípios medicinais, através dos aparelhos de Cromoterapia, seja um novo campo da ciência prática médica, o uso dessas radiações têm origem na Antiguidade.
A luz era utilizada como instrumento terapêutico no antigo Egito, onde se distinguia a luz “ativa” do Sol e a luz “calmante” da Lua. Séculos mais tarde, também Leonardo da Vinci utilizou a luz do Sol filtrada através de vidros coloridos para fins médicos.
A Alquimia e a Cor foram utilizadas desde a Idade da Pedra para curar as pessoas, através de flores e pedras coloridas.
As bases científicas das aplicações médicas desses fatores físicos começaram a ser estudadas somente durante a segunda metade do século XX, graças ao rápido desenvolvimento das ciências fundamentais como a Física, a Química e a Biologia.
Após a criação, em 1960, do primeiro gerador quântico do setor ótico foram executados numerosos estudos para verificar a possibilidade do seu uso terapêutico através da irradiação de fraca potência. Desde então é reconhecida uma grande quantidade de elementos que demonstraram a sua eficácia médica.
Aprofundou-se o estudo sobre o mecanismo de influência da irradiação eletromagnética com frequências mais altas sobre o organismo humano. Estabeleceu-se limites admissíveis ótimos de potência e de parâmetro, sendo elaborados métodos de aplicação para as diversas patologias.
Atualmente, existem diversos aparelhos de Cromoterapia ou de Medicina Quântica, dos quais citamos: o “Pyracromos” idealizado pela autora, no Brasil; o “Cromostim 2000” de origem italiana; e o “Therachroma” de fabricação alemã, que apresentam resultados surpreendentes na cura das mais diversas patologias, através da ação das ondas eletromagnéticas, ou mais precisamente das ondas coloridas.
Essas ondas de potência quântica são de frequência mensurável, cuja influência é observada pela informação do organismo celular, sub-celular e sub-atômico, como uma forma de linguagem que permite estabelecer o equilíbrio, a saúde e o bem-estar.
Das pesquisas que estudam a terapia aplicada a nível quântico, evidencia-se como a ação das radiações favorece uma reação útil ao organismo com os seguintes efeitos favoráveis:
a) melhoramento da circulação do sangue;
b) aceleração dos processos metabólicos;
c) ativação do processo regenerativo;
d) efeito sedativo;
e) efeito analgésico;
f) estabilização da membrana celular;
g) estimulação do estado geral;
h) normalização das arritmias cardíacas;
i) ativação da função oxidante do sangue;
j) efeito imuno-modulativo e imuno-estabilizante do organismo.
A terapia quântica aumenta o efeito medicamentoso, pois são potencializados os tratamentos: homeopático, fitoterápico, ortomolecular e de terapias naturais.
A Ciência das Cores ou Cromoterapia está recebendo na Europa o nome de MEDICINA QUÂNTICA, a qual utiliza as radiações do espectro eletromagnético, em especial as do espectro solar, que são as ondas coloridas, para os mais diversos tratamentos de saúde.

Fonte: www.qrs.com/www.atlantisterapias.com.br/www.lux-ap.com

Imagem relacionada

Resultado de imagem para fisica quantica e medicina

Postagens mais visitadas deste blog

MEDICINA VIBRACIONAL OU MEDICINA QUÂNTICA

Medicina Vibracional ou Medicina Quântica"No mundo da medicina vibracional, a doença é causada não apenas por germes, substâncias químicas e traumas físicos, mas também por disfunções crônicas dos padrões de energia emocional e pelos maus hábitos de relacionamento da pessoa consigo mesma e com os outros. O caminho vibracional não usa bisturis e medicamentos de laboratório para tratar as doenças, mas sim diferentes formas de energia para produzir transformações curativas na mente, no corpo e no espírito do doente” (Richard Gerber - Medicina Vibracional: Uma medicina para o Futuro).

Medicina vibracional é um conceito e sugere que devemos estudar os fenômenos biológicos sob a ótica da física quântica. Atua no nível “vibracional” e assim trata os desequilíbrios antes que eles se tornem doenças instaladas além de ajudar a controlar problemas crônicos e de difícil solução. 

Leva em conta o fato de que somos feitos não apenas do corpo físico, mas de corpos energéticos sobrepostos a este. …

NÚMEROS QUE CURAM - OS CÓDIGOS DE GRABOVOI

NÚMEROS QUE CURAM - Códigos de Grabovoi
AS SEQUÊNCIAS NUMÉRICAS DE CURA Lei da Atração
Em “Números que curam” Grigori Grabovoi reúne mais de mil doenças, e a cada uma é atribuído um número de 7, 8 ou 9 dígitos. Ao se concentrar em uma dessas sequências numéricas, a cura começa. Como algo tão simples pode ser tão eficaz?
A doença é um desvio por parte do organismo e cura supõe o retorno ao natural. Os números geram vibrações que podem ajudar o corpo a tomar o caminho de volta à normalidade.
A base do sistema é formada pelas sequências de números de sete dígitos. Para problemas mais específicos podem ser usados oito e nove dígitos.
A concentração no número ou números apropriados deve ser realizada pelo próprio paciente. Quando não tem um diagnóstico específico deve se concentrar na sequência numérica do capítulo que inclui doenças do mesmo tipo.
A concentração pode ser feita em qualquer momento e só pode ser realizada pelo paciente. Este, pode ver, imaginar ou escrever o número em questão, ou u…

ACUPUNTURA QUÂNTICA - CRISTAIS RADIÔNICOS

Fruto de 7 anos de pesquisas, os Cristais Radiônicos já são uma realidade entre nós. Nascido pelas mãos do engenheiro acupunturista Raul Breves. Estudioso de acupuntura desde 1980, professor especializado em diagnósticos eletrônicos no CEATA e escritor de 5 livros, era mais do que esperado que surgissem novos frutos de alguém tão dedicado a decifrar essa arte milenar. “Eles nasceram em 2008 quando tentei gravar em pequenos cristais auriculares o mesmo programa mental que utilizava em minhas sessões de acupuntura tradicional via radiônica - conta ele.

- De resto foi aprender a trabalhar com essa nova realidade. A minha primeira descoberta foi no aspecto de amenizar dores. Nunca tive tanto sucesso para processos álgicos. - Mas o mais surpreendente foi descobrir a atuação dos mesmos em questões psíquicas. Eles são extremamente poderosos para amenizar depressões, ansiedades, medos, preocupações... e em menos de 1 minuto!"  Diz Dr. Raul Breves, criador dos Cristais Radiônicos.


Os Cri…